• Alexandre Sammogini

Empresa investida da Funcef desenvolve teste rápido e massivo de COVID-19


Especializada em testes genômicos, a empresa Mendelics e o Hospital Sírio-Libanês desenvolveram um exame de saliva que identifica o novo coronavírus em sua fase aguda em apenas uma hora. O teste tem a mesma capacidade de diagnóstico, mas custa menos da metade do RT-PCR,o mais utilizado hoje, que demora de quatro a seis horas para ser realizado.

Criada em 2012, a Mendelics recebeu aportes do fundo de investimentos em participações (FIP) BBI Financial I, voltado a empresas emergentes inovadoras na área de saúde, que tem a Funcef entre seus cotistas.

“É um investimento com alto valor agregado porque além de trazer um importante benefício para a sociedade, também permite um bom retorno para o investimento da entidade”, diz Andrea Morata Videira, Diretora de Investimentos em Participações e Imóveis da Funcef. Ela explica que empresas da área de saúde que atuam com alta tecnologia e inovação estão registrando forte crescimento e valorização em um cenário de pandemia.

“Com certeza, esse tipo de empresas de inovação estão passando por forte valorização e que irá refletir nas cotas do fundo de participações”, prevê Andrea. Na linha dos investimentos do tipo ASG (Ambientais, Sociais e de Governança), a Diretora reforça o aspecto social de investimentos como o da Mendelics. “Hoje mais que nunca, existe um clamor pelo desenvolvimento de testes e vacinas. É um investimento que traz bem estar e representa um grande retorno para a sociedade”, diz.

O mesmo FIP BBI Financial tem outra empresa em sua carteira que atua no desenvolvimento de equipamentos para o tratamento de COVID-19. É a Timpel que desenvolveu um tomógrafo portátil que funciona em conjunto com os respiradores para avaliar a condição de funcionamento dos pulmões. Sua função é suspender o funcionamento do respirador em situações que possam levar o estresse mecânico, que pode levar o paciente a morte (leia mais).

Testagem massiva - No momento, a Mendelics realiza um projeto-piloto com 50 mil pessoas. Sua estimativa é de que será possível processar 110 mil amostras por dia, com foco em empresas e hospitais para apoiar a reabertura controlada da economia. A maior parte dos exames existentes obtém a amostra por meio de um swab nasal longo (um tipo de cotonete alongado) para chegar até a garganta e obter amostras das secreções. Esse ato causa um movimento involuntário que pode expelir o vírus aumentando o risco de infecção para os profissionais da saúde.

A partir do método aperfeiçoado pela Mendelics, o próprio paciente realiza a coleta de amostras de saliva em um tubo estéril, resolvendo o problema de demanda de kits de coleta nasofaríngea, fator que tem limitado diretamente a capacidade de coleta e testagem no Brasil. O novo teste não necessita dos reagentes que estão em falta no mercado. "O novo teste alivia a demanda reprimida e viabiliza a testagem em larga escala e sistemática no Brasil", diz Laércio Cosentino, presidente do conselho da empresa.

O exame da Mendelics endereça alguns obstáculos que dificultaram uma testagem mais abrangente no Brasil. Por ser realizado na saliva, ter um poder de processamento muito rápido, oferecendo aos brasileiros ferramentas que permitam controlar melhor a transmissão dessa infecção", completa Luiz Fernando Lima Reis, diretor do Sírio-Libanês Ensino e Pesquisa.

0 visualização

Receba nossas atualizações

Sugestões de matérias e/ou dúvidas:

abrappatende@abrapp.org.br

Nos acompanhe

  • Branca Ícone Instagram
  • Branca Ícone LinkedIn
  • Ícone do Facebook Branco

© 2020 por Grupo Abrapp